quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

SINAIS DE SHAMBHALLA





"Sinais de Shamballah"... Esta foi a expressão que os Lamas tibetanos, companheiros de Nicholas Roerich, sussuraram sobre a aparição súbita de um misterioso objecto voador não identificado, pairando a cerca de 400 metros do solo por cima do seu acampamento, na fronteira do Tibete com o norte da India, no caminho de Srinagar em 1924.

Segundo a descrição desse avistamento, tratou-se de um corpo luminoso sulcando o espaço em velocidade vertiginosa, semelhante a um "disco encandescente" de estranha luminosidade azulada, que nada tem a ver com o vulgar fenómenos dos meteoritos ou 'estrelas cadentes' bem conhecido.

O próprio Roerich dá conta desse facto na página 149 do seu livro The Hearth of Asia publicado em Nova Iorque, dizendo ainda que aqueles avistamentos, naquela região do Mundo, são muito frequentes. 

Ainda nesse ano, o grande explorador e iniciado nos Mistérios da Tradição, visitou o Mosteiro de Ghum, no Tibete, e o Lama responsável por ele adiantou peremptoriamente sobre o caso o seguinte: «Sinal da Nova Era! Em verdade o tempo do Grande Advento se aproxima. Segundo as nossas profecias, a Era de Shamballah já começou e o seu soberano (o Rei do Mundo) está preparando o seu exército invencível para a batalha decisiva e já aqui se estão encarnando todos os seus auxiliares e oficiais»... 

Tais "auxiliares" e "oficiais", segundo alguns estudiosos de Teosofia ou do Conhecimento hermético milenar, são o «Preclaros Membros da Excelsa Loja Branca» e o tal exército invencível constitui-se das «Forças Desarmadas de Agharta» (um povo intraterreno mais evoluido do que a Humanidade da superfície, desconhecido pelos homens comuns), mesmo assim "mais poderoso que todos os exércitos juntos da face da Terra", por dominarem a força dos Elementos e possuirem naves de grandes capacidades.

Esses Seres, cuja génese resultou do cruzamento sexual da espécie humana com ETs, os "Pitris Barishads" ou Progenitores Angélicos (referidos no Génesis - Cap. 6: 2, 4), criando corpos físicos a meio da 4ª Raça-Mãe, Atlante, recolheram ás grandes regiões do interior da Terra pouco antes da grande catástrofe do Dilúvio de que fala a Bíblia e levou à submersão da lendária Atlântida (desaparecida há cerca de 12.000 anos), resguardando-se até hoje do contacto com os humanos da superfície por razões que bem se entendem.




Mas outros 'sinais' de Shamballa são bem conhecidos hoje, como o caso das Auroras Boreais e Austrais cuja origem não é do Sol a 150 milhões de Kilómetros de distância, mas sim do interior da Terra onde existe um "Sol Central" (o chamado 'núcleo' do Planeta) que sob determinadas circunstâncias provoca esses efeitos na Atmosfera terrestre exterior através das aberturas polares, aquelas mesmas por onde penetrou o Vice-Almirante Richard Byrd nas suas expedições ao Ártico e Antártica. 

Esse mesmo Sol, com 900 Km de diâmetro, aquece e ilumina os reinos internos de Agharta que a Ciência comum desconhece (ou não se pronuncia oficialmente sobre o assunto), sendo referido há muito pela Ciência Iniciática. De resto, fala-se também que dessas aberturas polares saiem e entram objectos que identificamos por OVNIS, havendo a crença de que parte de suas origens está em bases subterrâneas desconhecidas pelos homens comuns da superfície.

Perante tudo isto, interroga-se o mais simples e comum cidadão como eu sobre a verdadeira origem desses objectos voadores não identificados que têm sido vistos nas últimas décadas um pouco por todo o lado, em grande actividades, sendo que os testemunhos são imensos e as aparentes contradições sucedem pelas mais diversas explicações a este respeito.




Pelo meu lado, que creio tanto na existência de uma civilização avançada Intraterrestre (conhecida há milhares de anos pelos mestres hindus e Lamas tibetanos), como creio na existências de Civilizações Extraterrestres mais evoluidas no seio do Cosmos (inclusive dentro do nosso Sistema Solar), penso que algo está prestes a suceder à escala planetária de modo a que intervenham forças não só interiores como exteriores ao nosso Orbe que está precisando duma grande Transformação, necessária de resto para uma Nova Humanidade que surgirá após os "tempos difíceis" ou de grande atribulação que Jesus profetizou em seu Sermão.

Creio que estarão presentes nesses Acontecimentos de "Juizo Final", não só os membros de Agharta como da Grande Fraternidade Branca dos Mundos superiormente evoluidos que decerto instaurarão aqui na Terra um Reino de Paz e Harmonia Universal, que perdurará para sempre após serem restabelecidas todas as coisas e afastados os que dominaram pelo Erro e Engano induzindo a Humanidade por caminhos de Condenação. 

Na verdade "O Príncipe deste Mundo" há muito que já está julgado...


Pausa para reflexão!

Rui Palmela



Ver: AURORAS BOREAIS E AUSTRAIS


Sem comentários:

Enviar um comentário