sexta-feira, 23 de outubro de 2015

XAMANISMO: OS ANIMAIS QUE NOS GUIAM


Xamanismo defende que todos fazemos parte de uma família universal e que tudo no universo está interligado. Assim, privilegia a relação com a natureza e atribui uma importância especial aos animais, identificando os chamados guias que orientam cada pessoa no seu trilho pessoal
O Xamanismo fundamenta-se num conjunto de crenças ancestrais, existentes desde que o Homem começou a tomar consciência da sua relação com tudo aquilo que está à sua volta e procurou entrar em contacto com as dimensões espirituais da sua existência. Partindo de práticas como o transe e a magia, procura usar os recursos de que dispomos dentro de nós próprios para curar doenças, encontrar respostas ou afastar ameaças.                            O Xamã – figura central do Xamanismo – é um homem ou mulher reconhecido como líder espiritual pelos seus dons considerados sobrenaturais, que estabelece a ligação entre o mundo natural e o mundo espiritual. Através da meditação orientada, qualquer pessoa iniciada pode ser praticante desta filosofia, que defende que a cura não pode ser dada por outra pessoa, pois encontra-se dentro de cada um de nós. O Xamanismo visa, acima de tudo, o reencontro do Homem com os ritmos da natureza e os seus ensinamentos, reconectando-se com o seu próprio mundo interior.
Desperte o Xamã que há em si
Neste período do ano em que a Terra se oferece em todo o esplendor do verão, dedique mais tempo ao contacto com a Natureza e aprenda a encontrar nela – e dentro de si - as respostas para muitas das questões que mais a inquietam.
Os ensinamentos xamânicos focam-se na observação da natureza e das suas manifestações: o sol, a lua, a água, o fogo, a terra e o ar, o vento, a chuva, as trovoadas, as plantas, os animais… Num dia em que o tempo esteja convidativo vista uma roupa confortável, calce os ténis, e dê um passeio ao ar livre. Procure passear num parque ou jardim ou, se tiver possibilidade, dê um passeio pelo campo ou na praia.

Vá sozinha, desligue o telemóvel e liberte a sua mente de todas as preocupações e afazeres quotidianos. Limite-se a observar tudo o que está à sua volta, repare nas cores, nos pormenores, na interacção dos elementos: os pássaros que cruzam o céu, a formiga que carrega a folha, o barulho do vento a passar pelas árvores… Não faça juízos de valor nem ocupe a sua mente a pensar no que tem para fazer, nos seus filhos, no seu par… Este momento é única e exclusivamente seu. Pode limitar o seu passeio a meia hora, se não tiver mais tempo disponível, mas ocupe esse período simplesmente a sentir aquilo que está à sua volta. Se se sentir confortável, descalce os sapatos e sinta o chão sob os seus pés. Assente os dois pés descalços firmemente no chão e deixe que a sua energia flua em conexão com a energia da terra. Não tem de fazer nada, não tem de pensar em nada. Simplesmente, sinta.
Os guias animais
No Xamanismo, os chamados guias animais, ou animais de poder, assumem uma grande importância: eles representam as nossas forças interiores, aquilo que dentro de nós ressoa o poder do animal que nos guia. Conhecer o nosso guia animal ajuda-nos a encontrar o nosso caminho, fazendo-nos tirar melhor proveito das nossas qualidades e lidar com as nossas fragilidades, alertando-nos também para os perigos que podemos ter de enfrentar.

Para identificar o seu guia animal:
- Preste atenção aos seus sonhos. Há algum animal que surja neles de forma recorrente? Treine a sua mente para se recordar dos seus sonhos habituando-se a escrever um diário, logo que desperta, daquilo que se lembra de ter sonhado (não se preocupe se parecer não fazer sentido). Antes de adormecer, imagine que se dirige a um "poço mágico". Visualize-se a escrever, num pedaço de papel, o seguinte: "Eu (o seu nome completo), vou lembrar-me dos meus sonhos quando acordar amanhã." Assine o papel e atire-o para o poço mágico. Repita este exercício todas as noites. Fazer uma alimentação rica em vitamina B6 e lecitina também ajuda a mente a melhorar a sua memória. Induza os seus sonhos, formulando claramente na sua mente o seu pedido, antes de adormecer: "Vou encontrar o meu guia animal no meu sonho, e amanhã vou lembrar-me dele." Ao direccionar a sua mente no sentido de uma resposta, mas sem a forçar, deixando que ela surja quando tiver de surgir, estará a usar a energia do Universo para vir em seu auxílio. Pode, também, usar este exercício quando for dormir uma sesta durante o dia.

- Use o som de tambores. O som cadenciado de um tambor é um dos métodos mais utilizados no Xamanismo para induzir ao transe. Pode adquirir um CD com música Xamânica de tambor para acompanhar uma meditação. Sente-se confortavelmente e acenda uma vela à sua frente. Concentre-se na chama da vela e desligue a sua mente de tudo o resto. Deixe que apenas a música ecoe dentro de si. Num estado relaxado, visualize-se num campo onde existe um buraco no chão ou a entrada de uma gruta. Entre por ele, sem receio, dentro da terra. Caminhe de forma descontraída, prestando atenção ao que vê. Deixe que as imagens venham à sua mente, sem as forçar. Peça ao seu guia animal que se revele perante si.
Os guias animais
Seja qual for o animal que lhe surgiu em sonhos, numa meditação, ou simplesmente aquele com que sente mais empatia, acredite que é ele o seu guia animal. O seu coração sabe sempre a verdade.

Dedique algum tempo a estudar o seu guia animal. Como se move? Quais são as suas armas, de que forma se protege, o que faz para sobreviver? De que se alimenta? Qual é o seu habitat? Procure compreender que relação esse animal pode ter consigo, e dedique-lhe maior atenção no seu dia-a-dia.
Se o seu guia animal vive no campo, você valoriza a calma e a tranquilidade, apreciando o conforto e a segurança do lar.
Se vive na água, você está à vontade com as suas emoções e sentimentos. Ou, pelo contrário, eles são a sua maior preocupação, pois são sem dúvida aquilo a que você dá maior importância na vida.
Se vive no ar, a liberdade é o seu bem mais precioso, não gosta de se sentir presa a compromissos nem que lhe deleguem responsabilidades. Imaginativo, é versátil e está sempre em busca de novas informações.
Se vive na selva ou no meio da floresta, é uma pessoa destemida e o perigo dá-lhe adrenalina e motivação para viver. Não gosta de rotinas nem consegue estar parada durante muito tempo seguido. Auto-confiante e corajosa, precisa de desafios constantes e não tem medo de correr riscos.
Se vive debaixo da terra, tem pouca auto-confiança, é discreta e prudente. Não gosta de dar nas vistas, preferindo ser valorizada e reconhecida por aquilo que faz. É muito perfeccionista e por vezes demasiado exigente consigo próprio.

Sem comentários:

Enviar um comentário