sábado, 10 de agosto de 2013

RELAÇÕES DE AMOR





Estes são níveis diferentes de aprendizagem e há alguns que temos de aprender na nossa própria pele. Temos de sentir a dor. Quando somos espírito, não sentimos dor. Esse é um período de renovação. 
A nossa alma é renovada. Mas quando estamos no estado físico, quando nos materializamos na carne, nessa altura podemos sentir a dor; e pode doer. Na forma espiritual não se sente nada. Existe apenas a felicidade, um sentimento de bem-estar. Trata-se de um período de renovação... para nós. A interacção entre as pessoas na forma espiritual é diferente. Quando nos encontramos num estado físico... podemos experimentar as relações.

Após o nascimento no estado físico, a nossa principal fonte de aprendizagem são as relações. Através da alegria e da dor que experimentamos na interacção com as outras pessoas, progredimos nos nossos caminhos espirituais e assim podemos conhecer o amor visto de todos os lados.
As relações são um laboratório vivo, um teste prático para avaliarmos as nossas condições, se aprendemos as lições, e para descobrirmos até que ponto estamos a seguir o plano de vida que nós próprios predeterminámos. 
Nas relações existe um evocar das nossas emoções, e nós reagimos. Aprendemos a dar a outra face, ou retaliamos com violência? Seremos capazes de nos aproximar dos outros com compreensão, amor e compaixão, ou reagimos com medo, egoísmo e rejeição? Sem as relações, não tínhamos maneira de saber;
não poderíamos testar o nosso progresso. 
As relações são sem dúvida oportunidades maravilhosas, embora difíceis, de aprendermos.
Encontramo-nos aqui no estado físico para aprender e crescer. 

Aprendemos características e qualidades como o amor, a não-violência, a compaixão, a caridade, a fé, a esperança, o perdão, a compreensão e a consciência. 

Temos de desaprender as características e as qualidades negativas como o medo, a raiva, o ódio, a violência, a avareza, o orgulho, a luxúria, o egoísmo e o preconceito.
Basicamente, é através das relações que aprendemos estas lições.

Aprendemos muito mais quando temos de enfrentar mais obstáculos do que quando temos poucos obstáculos pela frente, ou quando estes não são nenhuns.
Uma vida com relações difíceis, preenchida de obstáculos e perdas, representa sempre uma grande oportunidade para o crescimento da alma. Você pode ter optado por uma vida mais difícil para poder acelerar o seu progresso espiritual.
Por vezes, um acontecimento negativo como, por exemplo, perder um emprego, pode ser a mão que abre a porta para uma oportunidade ainda muito melhor. Não devemos afligir-nos cedo de mais. O destino pode necessitar de mais algum tempo para tecer a sua teia intrincada. Para além da dor e das dificuldades, existem também neste mundo o amor, a alegria e o êxtase. 

Viemos cá para estarmos em comunhão, para aprendermos sobre o amor com outros seres humanos que estão no mesmo caminho que nós, que aprendem as mesmas lições. O amor não é um processo intelectual. E sim uma energia dinâmica que entra em nós e flui todo o tempo através de nós, estejamos nós conscientes desse facto ou não. 

O fundamental é aprendermos a receber amor, assim como a dá-lo. Só podemos compreender a energia envolvente do amor na comunhão com os outros, nas relações, no serviço.

Sem comentários:

Enviar um comentário