sábado, 10 de agosto de 2013

KARMA E ACORDOS






Temos dívidas que têm de ser pagas. Se não liquidarmos essas dívidas, nesse caso transportálas-emos para uma outra vida... para poderem ser resolvidas. 
Progredimos pagando as nossas dívidas. Algumas almas progridem mais rapidamente que outras. Se por algum motivo a nossa capacidade de pagar a dívida for interrompida..., temos de voltar ao plano do recolhimento, e aí temos que esperar que a alma para com quem temos a dívida venha ter connosco. 
Quando se torna possível sermos devolvidos à forma física ao mesmo tempo, nessa altura é-nos permitido voltar.
Mas somos nós quem determina quando voltamos. Somos nós quem determina o que é necessário fazer para pagar a dívida.
Haverá muitas vidas... para cumprirmos todos os acordos, para pagarmos todas as dívidas ainda por pagar.

É importante recordar que o Karma tem tudo a ver com a aprendizagem, não tem nada a ver com castigo. Os nossos pais e as outras pessoas com quem interagimos têm o livre-arbítrio. Podem amar-nos e ajudar-nos, ou podem odiarnos
e prejudicar-nos. A sua escolha não é o nosso Karma. 
A sua escolha é a manifestação do seu livre-arbítrio, eles também estão a aprender.
Por vezes uma alma escolherá uma vida que represente um desafio particular, de forma a acelerar os seu progresso espiritual, ou como um acto de amor, para ajudar, orientar, cuidar de outras almas que estejam a passar por uma vida igualmente difícil. Uma vida complicada não é um castigo; é sim, muito mais, uma oportunidade.
Mudamos de raça, de religião, de sexo e de posição económica porque temos que aprender de todos os lados. Experimentamos tudo.

O Karma é a justiça suprema. Na nossa aprendizagem, não há nada que seja deixado de lado, nada se perde.
Contudo, a Graça pode suplantar o Karma. A Graça é a intervenção divina, uma mão que se estende dos céus para nos ajudar, para aliviar o nosso fardo e o nosso sofrimento. Uma vez aprendida a lição, não é necessário prolongar o
sofrimento, mesmo que a dívida kármica ainda não esteja integralmente satisfeita.

Viemos ao mundo para relembrar quem nós somos e não para sofrer, por isso pare e reflita (medite) e verá que encontrará o seu Eu Superior e descobrirá qual a sua missão cá na terra ..


Sem comentários:

Enviar um comentário